Associação António Fragoso

.

“… António Fragoso tinha a envergadura necessária para se tornar o maior compositor português de todos os tempos.
Era um músico intelectual. A sua vincada personalidade impunha-o tanto à nossa admiração, com o seu génio de compositor… e morrer aos vinte e um anos é quase não ter vivido.”

*Maestro Pedro de Freitas Branco

.

A  ASSOCIAÇÃO ANTÓNIO FRAGOSO

Finalidade
Identificar mundialmente António Fragoso como um compositor imortal

.

A ASSOCIAÇÃO ANTÓNIO FRAGOSO (AAF) é uma instituição cultural sem fins lucrativos, fundada em janeiro de 2009, que tem como principais objetivos o estudo, a revisão, a edição e a ampla difusão das obras musicais e literárias (estas ainda inéditas e também de grande valia) deixadas por António Fragoso.

A AAF foi impulsionada por um conjunto de conterrâneos e familiares que não quiseram ver esquecido um singular património artístico e cultural, apesar de malogradamente, o genial compositor só ter vivido 21 anos num País em que as valiosas referências de música clássica são tão raras.

Nestes quase oito anos de vida da Associação, foi realizada uma grande diversidade de concertos, bem como um Colóquio Internacional – “António Fragoso e o seu Tempo”, promovido pela Universidade Nova de Lisboa em parceria com esta Associação. Este Colóquio deu um significativo contributo para o conhecimento de Fragoso e da sua obra, tendo ainda permitido perspetivar o que ele teria podido ser se a sua vida tivesse mais longa.

O principal objetivo da AAF é o de deixar a totalidade do seu legado, devidamente estudado, revisto, publicado e gravado, permitindo assim que a sua memória e a sua obra perdurem no tempo e constituam um valioso legado para as gerações vindouras.

Quando nos referimos à obra de Fragoso, estamos a considerar, em primeiríssimo lugar, as suas composições musicais que, apesar da juventude do seu autor, nos revelam o seu génio único e tão surpreendentemente promissor. Elas aqui ficam, neste site, na sua totalidade, ao dispor de todos os músicos e melómanos que a elas desejem ter acesso.

A obra literária que Fragoso deixou e que permaneceu até agora inédita, é igualmente muito interessante, porque nos revela a cultura e personalidade do seu autor e nos dá uma visão de grande perspicácia sobre o ambiente cultural português desse início de século XX. Esta obra está a ser editada pela Imprensa da Universidade de Coimbra, tal como uma nova biografia do compositor escrita pela professora da Pontifícia Universidade Gregoriana, Barbara Aniello.

A Associação António Fragoso tem realizado um grande número de concertos (mais de quatrocentos nestes oito anos) onde, para além da música de Fragoso, se tem tocado obras de outros compositores a quem todos consideramos imortais.

Criou também um Departamento de Ensino no qual se fundaram duas academias. Uma dedicada ao ensino iniciático onde se utiliza um método pedagógico que se baseia na prática e na experiência. A outra, designada por Academia Internacional de Música “Aquiles Delle Vigne”, foi criada através de uma parceria entre a Associação António Fragoso e a associação belga Musici Artis e pratica um ensino do piano de altíssima craveira. É frequentada por pianistas jovens, na sua maioria estrangeiros, que procuram um aperfeiçoamento e que buscam a excelência nas suas atuações. Os seus alunos têm recebido os mais altos prémios em concursos internacionais, fazendo jus à excelência do ensino nela praticado. Hoje é uma academia autónoma, mantendo a AAF uma estreita ligação à A2DV, nome da sociedade que a governa.

Atualmente António Fragoso é tocado como nunca o foi, tanto em Portugal como no estrangeiro. Espera-se que as comemorações do centenário da sua morte tragam um novo impulso à sua divulgação. Serão levados a efeito 90 eventos no nosso País e ainda 14 no estrangeiro e publicado todo o seu espólio, esperando com isso que o génio de Fragoso seja reconhecido mundialmente e a sua obra permaneça de geração em geração, proclamando a sua imortalidade.

 

Pocariça, 21 de outubro de 2017